Dublin: uma viagem à Irlanda #2

O’Connell Brigde, Dublin

O segundo dia em Dublin começou cedo. Acordámos, tomámos o pequeno-almoço no hostel – que estava incluído -, enchemos os copos reutilizáveis da Starbucks de chá, para aquecermos as mãos e seguimos caminho.

Dublin Docklands

Fomos a pé até à O’Connell Street e lá apanhámos o Hop On, Hop Off.  Saímos na paragem da Dublin Docklands, seguindo depois novamente a pé até ao The Convention Centre Dublin.

The Convention Centre Dublin
Samuel Beckett Brigde

Atravessámos a Samuel Beckett Brigde e apanhámos novamente o Hop On, Hop Off até ao St Stephen’s Green, um magnífico jardim, que ocupa aproximadamente nove hectares de terreno, onde há um belo lago habitado por gaivotas e cisnes com acesso a uma das ruas com mais comércio da cidade.

St Stephen’s Green

O jardim foi talvez uma das coisas que mais gostei de visitar em Dublin. Ver que no meio da cidade, existe um jardim com várias espécies de aves que fazem dele o seu habitat e tanto verde, imensas árvores e plantas. Gostei bastante.

St. Stephens Green Shopping Center

Na rua do jardim, temos ainda a Lady Grattan Drinking Fountain e o The Little Museum of Dublin, que não conseguimos visitar por estar fechado para férias.

Numa das extremidades do St Stephen’s Green, temos o tão conhecido centro comercial com o mesmo nome: St. Stephens Green Shopping Centre.

É um centro comercial bastante bonito e particular, localizado muito perto da Graffon Street, a rua com mais comércio de Dublin.

Voltámos a subir num Hop On, Hop Off e viajámos até ao Trinity College, a Universidade de Dublin fundada em 1592, com cento e noventa mil metros quadrados. Nesta universidade, podemos visitar a Old Library, que conta com mais de duzentos mil volumes. Esta enorme biblioteca conta como decoração vários bustos eruditos, a Harpa mais antiga da Irlanda e o conhecido manuscrito Book of Kells. A entrada na Biblioteca custou-nos cerca de nove euros.

Trinity College
Old Library
Old Library

Andámos imenso pelo Trinity College, não fosse ele um campus enorme, onde visitámos também a The Berkeley Library.

Atravessámos o Trinity College de um lado ao outro e acabámos por apanhar, junto à Pearse Station, o autocarro até à St. Patrick Catedral.

St. Patrick Catedral, vista do St. Patrick Park
St. Patrick Catedral

Esta sim foi a catedral que mais gostei de visitar em Dublin.

A St. Patrick Catedral é a Catedral Nacional da Igreja da Irlanda e foi fundada em 1191. É a maior e mais alta catedral do país, com uma torre com quarenta e três metros de altura.

A entrada na St. Patrick Catedral custou cerca de sete euros.

Ao lado, temos o St. Patrick Park, um jardim calmo, muito bem cuidado, onde podemos ver famílias a desfrutar da vida ao ar livre, fazendo lanches ou a passearem os seus cães. É um local bastante calmo e bonito.

De seguida, fomos até ao Dublin Castle, situado na Dame Street.  O Castelo de Dublin foi inicialmente fundado como um importante complexo defensivo por ordem do Rei D. João, em 1204, tendo sido alargado até 1230. A entrada custa cerca de sete euros.

Castelo de Dublin

A última visita do dia foi à Rolling Donuts, uma conhecida casa de Donuts, situada na 34 Bachelors Walk, com imensa variedade de cores e sabores à escolha à disposição dos mais gulosos.

Tenho de confessar que eram mesmo muito bons! Valem a pena. Nhami.

O dia terminou com o jantar – mais uma vez comprado no supermercado junto ao hostel-, e comemos na sala de convívio do hostel e ficámos noite a dentro a jogar aos “países”.

O nosso jantar: massa com molho pesto e outra com molho césar.

E por aí? Quem costuma passar o tempo com este jogo? Duas folhas de papel, duas canetas e temos tudo o que é preciso.

Comentar

  Subscrever  
Notify of